A Evolução da comunicação impactada pela Tecnologia – IV

WiFi

Artigo Científico da PG em Design e Tecnologia Digital da FAAP:

‘Estudos sobre a evolução da Comunicação impactada pela Tecnologia sob uma visão Antropológica. A Web 2.0 e as mudanças nas relações humanas geradas por esse paradgma’ -

Parte 4.

web

2000 foi marcado pelo ‘Bug do Milênio‘ |24| – os sistemas desenvolvidos até o século XX armazenavam e interpretavam as datas ‘ano’ com apenas dois dígitos (em vez de 2000 apenas 00), por isso os programadores temiam que os sistemas interpretassem 2000 como 1900 após a virada do ano, o que felizmente não aconteceu. Caso isso ocorresse, as aplicações em bancos e bolsa de valores do mundo todo teriam juros negativos, o que afetaria drásticamente o sistema econômico mundial. Em função disso houve enorme crescimento de empresas do ramo de informática, diversos profissionais aposentados foram chamados para recrutar equipes.
Nesse ano ocorre o primeiro ataque do tipo DoS (Denial of Service) contra Yahoo, Amazon, eBay e Amazon.

A Rede brasileira é conectada com a Internet2 resultando em uma nova escala de comunicação virtual.

O mercado de  RadioDados desenvolve placas eletrônicas com transmissão de dados por rádio frequência (RF), permitindo que as soluções proporcionem automação industrial, controles de processos automáticos, rastreadores de veículos, telemetria, computador de bordo, terminais de dados, casa inteligente, tudo isso podendo funcionar através da rede GSM de celulares, através de comunicações de dados GPRS ou 3G – é possível vislumbrar a era da mobilidade.

O IG lança seu provedor gratuito. Suas contratações absurdamente acima dos valores praticados no mercado, impulsionam ainda mais as especulações da Bolha da internet. Um exemplo é o extindo São Paulo Journal, uma publicação off line trimestral focada em moda e comportamento, que era distribuída gratuitamente a um seleto grupo em São Paulo. Faziam parte do mailling personalidades hype do cenário paulista. A diretora da empresa Ana Paula Bogosian, fechou o jornal para compor a equipe editorial de moda e comportamento do IG – o salário acordado cobria os lucros líquidos mensais de sua empresa.
Empresas, serviços, políticos, ONGs e outros aventuraram-se no universo virtual. A verba de outros canais, passou a ser investida em sites, produtos e serviços da rede.

O e-commerce é o novo canal de vendas. A Internet era a promessa de retorno certo com possibilidades infinitas.
As ações das empresas pontocom e de alta tecnologia subiram vertiginosamente. Uma nova bolsa de valores foi criada especialmente para esse mercado: a Nasdaq.

A Bolha da internet,  fenômeno de supervalorização das empresas pontocom e de suas ações, projetam no mercado a mensagem de que o universo virtual como  a ‘Nova Onda’.
Empresas virtuais que davam seus primeiros passos não obtem os resultados esperados. O ajuste do mercado quebra várias empresas. As mais sólidas saem praticamente ilesas. Apesar do abalo, a rede mundial segue influindo na economia. Conforme dados da AOL/RoperASW, do Ibope e da Receita Federal, 29% dos internautas procuravam emprego por meio da rede, 50% planejavam suas férias com a ajuda de sites, 58% organizavam eventos sociais, 50% acessavam serviços bancários, 69% realizavam pesquisa de preços, 3,6 milhões de pessoas faziam compras e 20 milhões declaram o Imposto de Renda via Internet.

Como em um jornal impresso ou em uma rede de televisão, a principal fonte de renda dos grandes portais de Internet é a publicidade. Os portais que contavam com as assinaturas dos usuários como sua principal fonte de renda, passam a comercializar banners, ou seja, anúncios retangulares no alto das páginas, e os pop-ups (propagandas  que brotam da tela).

Após o estouro da bolha, empresas de telecomunicações tornaram-se poderosas financiadoras de operações. Por meio de associações, provedores de acesso, gratuitos ou não, obtêm remuneração a partir de um porcentual gerado no tráfego que fornecem às linhas das operadoras. Assim, quanto mais tempo um site é visitado, mais ele recebe da operadora.

Em 2001, mais especificamente no mês de Janeiro, o Napster|23| tem um pico de 8 milhões de usuários conectados trocando diariamente um volume estimado de 20 milhões de canções. Números que chamaram atenção da indústria fonográfica, que contabiliza prejuísos sem precedentes e decide processar o Napster sob a acusação de promover a pirataria e possibilitar a troca de arquivos de áudio protegidos por direito autoral (Lei de Copyright). Após uma batalha judicial travada entre seus operadores e a RIAA – Recording Industry Association of America, a Napster perde e seus servidores são desligados em Março de 2001.
O fato de a indústria tentar se reapropriar da forma como os usuários lidam com a música, provocou uma revolução na industria fonogáfica: novos programas que fazem o mesmo que o Napster surgiram no mesmo ano – Kazaa, eDonkey, Morpheus e Audiogalaxy. O Napster originou inovações como o BitTorrent e o iTunes. Foi um paradigma na forma com que os usuários consumiam filmes e músicas. Evidenciou e ajudou a dar forma a este novo nicho de mercado.

A Apple lança uma série de iPod’s – tocadores de áudio digital. A inovação tecnológica foi ofuscada pelos atentados de 11 de setembro. Este foi considerado o lançamento mais arriscado da Apple, já que os Estados Unidos ainda estavam sob forte comoção.
Na cobertura dos atentados de 11 de setembro de 2001- pessoas de todo o mundo contaram via e-mails e  postaram em sites/blogs, suas impressões. A rede vira um grande repositório sentimental coletivo – sim as pessoas compartilham o que sentem e consolam umas as outras, em sua maioria em tempo real – a conexão da rede vai além dos bites e bytes.
O mesmo aconteceu com o tsunami registrado na Ásia no final de 2004, que ocupou a sexta posição em audiência na época.

Em 2002, o governo brasileiro levanta a bandeira do software livre para proporcionar a inclusão digital.

Começa a era Wi-Fi – internet banda larga sem fio.

TV Terra atinge mais de 3 milhões de visitantes por mês. Ondas de serviços online modificam o comportamento do internauta: álbum de fotos, e-mail protegido, bloggers, Instant Messenger.

Em 2002 o Google Inc. lança o Google News|25|, um portal que efetua clipagem de todas as manchetes de notícias de mídias na web com link para a matéria. Essa ferramenta acirrou a rivalidade dos veículos, que foram colocados em caráter de comparação. Os furos de reportagens passaram a ser questão de sobrevivência. Em seguida  também o Google Print, hoje nosso Google Books (serviço de busca a trechos de livros e até livros inteiros em .pdf, dependendo da liberação de direito autoral).

Em 2003 a Apple lança o iTunes, sua loja virtual de APP’s e música.
A Associação da Indústria de Gravadoras Norte-Americanas inicia os processos contra usuários de baixam músicas ilegalmente.

A Skype Limited, empresa global de comunicação via Internet lança o Skype.com, um software que promove a comunicação via web de conexões de voz sobre IP (VoIP) via web. Com o Skype ainda é possível enviar arquivos e fazer uma conferência com até 100 pessoas simultãneamente.

Joshua Schachter cria o Delicious.com , um social bookmark – serviço on-line que permite que você adicione e pesquise links favoritados (bookmarks) sobre qualquer assunto. Além de ser um mecanismo de buscas na web, você também pode compartilhar seus bookmarks e visualizar os favoritos públicos de vários membros da comunidade. Além disso é possível criar listas para acompanhar websites que tenham links dinâmicos.

O  Google Inc. compra o Blogger|17|, dinamizando ainda mais a publicação de notícias clipadas.

Philip Rosedale lança o SL-Second Life|26| (segunda vida), um ambiente virtual tridimensional construído por seus residentes que simula aspectos da vida real e social do ser humano. Graças a esse ‘simulador de vida real’ Rosedale é conhecido como VG – Virtual God (Deus Virtual), aquele que é dono do universo infinito. Para existir no SL, você precisa criar uma conta, baixar e instalar o aplicativo e criar o seu Avatar - sua versão digital, uma imagem 3D que seja o reflexo de sua personalidade real (ou não). Assim como no planeta Terra, o SL tem moeda própria, o Linden Dollar (referência a desenvolvedora Linden Lab), que inclusive pode ser convertida em moeda real (dólares).
Este simulador necessita de nova classe para definí-lo, pois por intermédio dele provemos uma rede social e profissional, comércio virtual e e-learning, o uso é definido pela da forma como ele é utilizado.
Mesmo provendo comportamento e relacionamento em sociedade, este ‘universo digital’ não é uma rede social, nem um jogo de RPG, já que  o sistema não possui um objetivo claro e específico que seria conquistado se determinadas regras fossem cumpridas. Eu o considero um ecossistema virtual.

Ryan Boren e Matthew Mullenweg criam o WordPress|27|. Esse GPL – designação de licensa para software livre (código aberto), idealizada por Richarf Stallman no final da década de 1980 – é a melhor plataforma de publicação e gerenciamento de blogs. Prova disso é o fato de grandes corporações utilizarem o aplicativo. Exemplos não faltam, NYTimes, CNN.com, Sony, Playstation, Wired|28|  e recentemente a Petrobrás|29|.

Um fator determinante em relação ao ganho de divisibilidade para o blog ou site é o da indexação nos motores de busca. O crawler Googlebot que é o robô de busca do Google, procura por informações novas em todos os endereços possíveis em toda a internet (4 dias depois de uma matéria ser publicada em um site, já é possível encontrá-la no Google, pois ela já estará em uma base de informações que é atualizada diariamente). Outros mecanismos de busca possuem crawlers, mas o do Google é o mais eficiente graças ao PageRank – o algorítmo desenvolvido pelos próprios fundadores do Google Inc. que é o fator de maior peso na definição do ordenamento das páginas apresentadas pelo Google.
O PageRank indica o número de acessos que uma página teve na busca por determinado assunto, ou seja, a comunidade da Web elege aquela página como a de maior relevância sobre o assunto pesquisado. Como conseqüência, essa página tem maior probabilidade de obter um bom posicionamento nas buscas.

Essa regra lógica pode ser driblada pelo SEO – Search Engine Optimization, que é divido em White Hat SEO, conjunto de regras e métodos usado para tornar a página mais legível para as ferramentas de busca, e pelo Black Hat SEO, conjunto de regras e métodos anti-éticos de SEO. O uso dos termos white hat (chapéu branco) e black hat (chapéu preto) é uma referência aos mocinhos e bandidos dos filmes Western (Velho-Oeste), infelizmente, para cada técnica de White Hat SEO, quase sempre, existe uma versão black hat.
Vale ressaltar que quando o bom senso não convence, o SEO Black Hat é passível de punição, como exemplo há o site das alemãs BMW e Ricoh, que deixaram de ser exibidos pelo Google, por terem adotado técnicas que artificialmente os posicionavam nas primeiras posições das respostas do buscador30. Estes sites usavam uma técnica conhecida como “doorway pages”, páginas que exibem um conteúdo feito sob medida para os sistemas dos buscadores e outras páginas para os visitantes reais. Resumindo, o SEO Black Hat é para o crawler, o que o spam é para o e-mail.

Voltando ao WordPress, ele também oferece estrutura de permealink amigável aos mecanismos de busca, uma URL que o direciona especificamente para um blog (os sistemas antigos não tem esse recurso). Outro diferencial (também disponibilizado pelo Blogger), é o Trackback (caminho de volta ou caminho inverso), assim é possível responder um post de um determinado blog  de outro post que também pode ser de outro blog.

Reid Hoffman lança a rede social corporativa Linkedin|30|, uma rede social quem tem propósito bem definido (funcionalidade direcionada), o de ser um local para network exclusivamente profissional.
Lá você disponibiliza seu currículo online (experiência profissional, formação, referências e rede de contatos), o diferencial é o fato destas informações estarem a disposição mundial para aferência, o que dá tremenda credibilidade as informações (na rede qualquer mentira fatalmente é descoberta).
Não serve apenas para você estabelecer conexões (network), e sim para estar atualizado. Existem fóruns de discussão, indicação de cursos (avaliados por quem os ministra e por quem os cursou), avaliação de clientes sobre fornecedores e etc.

Um estudo realizado pela Anderson Analytics|31|, traçou o perfil dos freqüentadores do LinkedIn: do total dos pesquisados, 28% se disseram executivos, 30% consultores, 20% afirmaram estar explorando opções e 22% disseram não ter certeza quanto a sua profissão – dúvida comum para quem trabalha no universo digital onde reina a multidiciplinaridade do profissional multitarefa.
Os aplicativos do LinkedIn também tem propósito corporativo, deles destaco três: Reading List by Amazon – divulga a lista de livros que cada membro da rede está lendo, Blog Link – ferramenta para divulgação de blog’s que exibe as útimas atualizações dos posts de seus contatos, e o Company Buzz - o aplicativo retorna a quem desfruta do serviço, o que é falado sobre determinada empresa no Twitter, com Tags, palavras mais usadas e tendências.


O marketing convencional usava a segmentação baseada em perfis demográficos e psicográficos dos atuais consumidores (definidos por resultados de pesquisas previamente formuladas ou por bancos de dados). Com o advento da internet, o webmarketing conta com dados comportamentais reais, para identificar consumidores e modelos estatísticos para acessar seu potencial individual de consumo e retorno.

A comunicação era projetada para um público-alvo (target definido por dados genéricos como sexo, idade, escolaridade, renda e etc. Estes dados idealizam personas para as quais as campanhas eram direcionadas. Hoje ocorre o inverso, consumidores que tem nome, sobrenome, voz (opinião) podem ter seu perfil de compra rastreado. Todas estas informações são analisadas para gerar tipos de consumidor alvo – que exigem customização e valor agregado aos produtos e/ou serviços.  Pesquisar o feedback do consumidor em mídias sociais é prática comum hoje em dia. Se as informações forem parametrizadas e classificadas em um Data Base Marketing, serão uma ferramenta estratégica essencial que servirá para o CRM Customer Relationship Management e que indicará Gaps de melhoria  por intermédio de análise SWOT por exemplo. As análises dessa base servirão de insight para medir o Branding, política de preços, Share of Mind, para sinalização de novos concorrentes (battlefield), fidelizaçao, comunicação One To One -Concept Marketing Visant ou Concept Marketing Consistant Adapter, e etc.

Em 2004 ocorre a primeira eleição oficial suiça via Internet.

Um SQL Slammer worm, causa um dos maiores e mais rápidos ataques DDoS, que em apenas 10 minutos se espalhou por todo o mundo.

O Brasil é líder mundial de inscritos no Orkut, o site de comunidades virtuais mais procurado do mundo. Atualmente, somos cerca de 30 milhões de internautas.

O uso de webcams começa a se popularizar.

Ainda em 2004 a revista Reason|32|, cria a primeira edição com informações personalizadas. Na edição de Junho/2004, cada assinante recebeu um exemplar customizado da revista, a capa tinha o nome do assinante e uma foto de satélite que focava a área da própria casa ou trabalho dele. Nick Gillespie, Editor Chefe da revista, disse que o projeto gráfico visava demonstrar o poder dos Bancos de Dados Público.

Mark Zuckerberg, ex-estudante de Harvard lança Facebook.com|33|, um site gratuito de relacionamento social, que possui uma regra de negócios similar ao Google, cuja receita vem da publicidade nas páginas. Surgiu restrito aos estudantes de Harvard, faculdade que ele cursou, mas devido a grande adesão a rede se estendeu a outras universidades e escolas até se tornar livre como é hoje, com mais de 120 milhões de usuários ativos no mundo.

Segundo o  Alexa|34| a (serviço de internet da Amazon.com que mede e disponibiliza um ranking mundial de visitas de um determinado site), o Facebook.com ocupa hoje o 4o lugar no ranking. A firma de análise online comScore|35| afirmou em seu último estudo que o Facebook consolida liderança entre as redes sociais. Pela pesquisa, o Facebook passou a líder de visitas entre sites do gênero.

O uso de sites sociais, cresce mundialmente 25% em apenas um ano. Na América Latina, o crescimento é de 33%, levando quase 12 milhões de visitantes à página do Facebook|36|.
A rede mais popular no Brasil desde seu lançamento, Orkut, aparece em quinto lugar no ranking geral de redes sociais online|36|.

Segundo o site Digital Trends|36|, em junho de 2008 o serviço recebeu 132 milhões de visitantes únicos, contra 113 milhões do anterior campeão de preferência, MySpace. Os números refletem visitas recebidas do mundo inteiro e são comparados com o mesmo período em 2007, quando o Facebook foi acessado por apenas 52 milhões de visitantes únicos contra 114 milhões do rival. O crescimento da rede campeã foi de 153% em um ano, contra apenas 3% do MySpace.

33. Análise SWOT: Strenghts, weeknesses, oportunities and threats, ou seja, pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças (battleffield).
34.Alexa: é um serviço gratuito de estatísticas que se encarrega de medir os acessos e calcular o tráfego dos sites de todo o mundo, retratando de forma bastante aproximada a realidade da Internet. Cf. pg.20
35.ComScore: é um fornecedor global de informações estratégicas para a Internet. Desenvolve pesquisas de comportamento do consumidor de performance de produto (B) e insight para estratégias comerciais e de marketing. Categoria de pesquisa: consumidor web. Cf. pg.20

O Google Inc. lança o Gmail.com|35| , um sistema de e-mail gratuito que disponibiliza 1 gigabyte livre para cada usuário (quinhentas vezes maior do que os 2 MB então oferecidos pelo seu concorrente, o Hotmail da Microsoft). Também compra o Picasa (ferramenta para organizar imagens)|33|.

A Amazon.com cria um mecanismo de busca baseado na tecnologia do Google, o A9.com.

Em agosto deste mesmo ano, o Google Inc. |17|  lança suas ações na bolsa. Uma particularidade é que as ações foram adquiridas em sua maioria por investidores únicos (ações individuais) e não por grandes investidores institucionais e/ou fundos de investimento aberto.  A empresa passou de US$ 100 mil (primeiro aporte milionário de capital adquirido em 1998) a US$ 25 milhões (capital adquirido do um fundo de capitais).
Graças ao sucesso na venda das ações e da publicação de anúncios, o Google Inc. compra a Keyhole, empresa detentora do Earth Viewer, sistema que disponibiliza na rede imagens de mapeamento da terra por intermédio de superexposição de imagens de satélite – exibição e organização de conteúdo geoespacial (em 2005 esse serviço foi rebatizado para Google Earth).

Desde seu lançamento até o ano de 2004, o tamanho do Google já havia se multiplicado 80 mil vezes|37|.
E não pára, lançam o Orkut.com|17|.

No modelo corportivo inovador do Google Inc., os funcionários trabalham de segunda a quinta-feira nos projetos corporativos, mas tem a sexta para dedicar-se a projetos pessoais (o Google disponibiliza toda a sua estrutura para isso), o |35| Orkut.com foi um destes projetos.
Pessoas apaixonadas pelo que fazem e que se sentem valorizadas onde produzem, contribuem para a criação de valor, ao contrário do controle que mina a inovação. O turco Orkut Büyükkokten, provou isso ao desenvolver uma ferramenta de relacionamento social entre usuários da internet, que levou o seu nome. Na primeira versão, você deveria receber um convite de alguém que já era membro da rede para poder participar, hoje basta se inscrever (esta rede hoje é fenômeno no Brasil).

O iPod|39|, aparelho de midia digital da Apple, é um fenômeno que pode ser considerado Transmídia. Este dispositivo dá origem ao Podcasting, que é uma forma de publicação de arquivos de mídia digital na internet por um Feed RSS, que permite aos utilizadores acompanhar a sua atualização, tornando possível o acompanhamento e/ou download automatico do conteudo de um Podcast. Isso deu início as rádios digitais personalizadas.

O site Match.com se populariza com força em 2002 – eleito por  aqueles que procuram um relacionamento amoroso.

O vírus da Sars – Síndrome Respiratória Aguda Severa, assombra o mundo em 2003. Pesquisadores de 14 países trocaram informações on-line e graças a colaboração entrecentros de pesquisa  em um mês o vetor responsável pela doença é descoberto.

Em Janeiro de 2005,  a American On Line Inc. adquire por US$ 850 milhões o site de relacionamento Bebo.com e o lança como a rede social do AOL. Após dois anos, essa rede foi vendida para a Criterion Capital Partners.

Em Outubro Marc Andreesen (criador do browser Netscape) e Gina Bianchini (co-fundadora e presidente da Harmonic Communications), criam e lançam uma plataforma para criação de redes sociais individuais, o Ning.com; (a palavra chines ‘Ning’ significa ‘Paz’).
Nela você cria a sua própria rede social e a adere a redes de usuários que partilhem dos mesmos interesses. Ao contrário das redes sociais generalistas (Facebook,Orkut e etc.), que limitam a interação a uma rede social específica.

Segundo o FAQ Ning, você também pode gerar rendimentos com o Ning, ao colocar publicidade na sua rede por um investimento de $19,95 por mês ou ainda ter a sua rede em um domínio próprio por uma quantia de $ 4,95 ao mês.

Chad Hurley, desingner pela Indiana University of Pennsylvania, Steve Chen e Jawed graduados em Ciência da Informação pela University of Illinois, Urbana-Champaign lançam o YouTube.com|40| (“You”- você e “Tube”- tubo, que é uma gíria americana para televisão). Neste site usuários carregam e compartilham vídeos digitais.

Dr. Michael Welch, antropólogo e criador do estudo “An anthropological introduction to YouTube” |41| nos apresenta no vídeo dados que são um verdadeiro insight do que essa plataforma representa hoje:
“As três maiores redes de televisão americanas, de 1948 a 2008 (60 anos X 365 dias X 24h/dia), produziram mais de 1,5 milhões de horas de programação.
O YouTube produziu mais do que isso em apenas 6 meses. E o fizeram sem produtores. Foram produzidos por pessoas como eu e você” explica Welch.

As redes sociais são vistas como o acontecimento sociológico da última década, por criar uma nova forma de “sociedade”. Comunidades virtuais crescem exponencialmente”.

Para entrar na briga, a Microsoft compra o Friendster.com |42| A Microsoft é conhecida por ter uma visão tardia da tecnologia – foi assim com a Internet e o Netscape.

A maior distribuidora européia do sistema operacional linux, a Mandrakesoft, anuncia a aquisição da Conectiva Linux, empresa líder no Brasil e na América Latina, sinalizando que o mercado nacional é um nicho proeminente|43|.

Em 2006 desdfrutamos da banda Larga mais rápida. O YouTube vira uma febre, e a audiência produz mais e mais conteúdo.

No segundo semestre Facebook e Twitter se transformam nas estrelas das mídias sociais.

Em 2006 o Google Inc. lança o Google Grid, sua plataforma de computação distribuída universal e ilimitada em termos de espaço (armazenamento e largura de banda), para compartilhar mídias de todo tipo. Nela o Google disponibiliza todos os seus aplicativos, é o ecossistema do Google na rede .

Ele também compra o YouTube US$ 1,650 Bilhão44. Fiel a seu modelo corporativo único, o Google Inc. decide manter a identidade do YouTube. Seus fundadores, Chade Hurley e Steve Chen e 65 funcionários, passaram a trabalhar para o Google. Apesar da compra, o site de compartilhamento de vídeo continua operando de maneira independente e com seu nome e marca.

Jack Dorsey cria uma nova forma de comunicação, o Twitter|45| – uma rede social baseada em mensagens instantâneas de até 140 caracteres denominadas “tweets”. Esse aplicativo popularizou um novo conceito, o ‘microblogging’. Nele os usuários enviam e lêem comentários pessoais, as atualizações são exibidas no perfil do usuário em tempo real e também enviadas a outros usuários que estejam ‘seguindo’ esse emissor da mensagem através da página do aplicativo (web) ou por telefone (SMS). O serviço é gratuito na internet, mas usando SMS há a cobrança da operadora telefônica.

A idéia inicial do Twitter foi “What are doing right now” (o que você está fazendo agora), mas a frase que melhor o define hoje é “o que está passando pela sua cabeça agora”. Nós indicamos leitura, trocamos conhecimento, comentamos assuntos da atualidade, discutimos política, cultura pop, jogamos conversa fora para relaxar, divulgamos vaga e até contratamos.
Hoje esse meio midiático é o mais veloz, notícias inéditas postadas no Twitter só são divulgadas na mídia após horas ou até no dia seguinte.

Para ilustrarmos a força dessa rede, vale ressaltar que é a própria testemunha ou o sobrevivente de um fato que informa em instantes o que ocorreu com ela.
É onde a censura não cabe, você pode apenas escolher ler ou não visualizar o emissor da mensagem.

Segundo Havi Brooks blogueira do Fluent Self |48| o Twitter é um bar ou um café local, one você escolhe em qual mesa quer se sentar (assunto), ou de quais pessoas você deseja estar perto (interesses comuns).
“Por que você frequenta o bar/café local? Porque é a sua praia, sua praça. É onde seus amigos estão, onde você faz novas amizades. É onde você vai porque ser inteligente e divertido apenas na sua mente não leva o lugar nenhum. Bastam apenas alguns segundos para digitar alguma coisa lá, afinal, há um limite de 140 caracteres. O Twitter é uma pausa, e as pausas fazem bem à alma. Sim, ele pode consumir seu tempo como qualquer outra coisa, mas se você usá-lo com cuidado como um entra-e-sai rapidinho, o Twitter é, na verdade, uma ferramenta de produtividade”, explica Brooks.

Tenho restrições sérias ao uso do Twitter como ferramenta de persuasão, não o uso para isso (nesta ferramenta de status updating, na public timeline  publicamos nossas opiniões sobre um produto ou que quer que seja). Uso apenas para notar tendências de consumo e de mercado de acordo com o buzz do dia ou da semana.

O consumidor deve saber quando estão tentando lhe vender algo. É errado postar uma opinião que não é verdadeira, o que pode ocorrer quando você é pago para promover um produto seja em um blog ou microblog. Ele pode ser usado para saber o que os clientes falam (pensam), de um determinado produto e/ou serviço (ORM -Online Reputation Management).

O comSocore49 divulgou que o Twitter chegou a 32 milhões de usuários únicos em abril, ante os 10 milhões de fevereiro. Isso quer dizer que a sua base de usuários triplicou em dois meses.

Para se ter uma noção do que isso significa, o Twitter já ultrapassou o Digg (23 milhões), o LinkedIn (16 milhões) e o site do New York Times (17,5 milhões) em usuários únicos mensais. Vale lembrar que a medição do comScore se limita a registrar quem acessa o site tradicional.

Vale ressaltar que segundo estudo da Harvard Business School, apenas uma minoria escreve os conteúdos do Twitter. O estudo examinou 300 mil usuários durante dois meses e comprovou que apenas 10% dos microbloggers eram os responsáveis por 90% das mensagens. Mais da metade dos usuários postavam mensagens menos de uma vez em 74 dias.

Em 2007 o iPhone é lançado, impondo  um novo conceito para os smartphones. Estima-se que até 2020,  um bilhão de novos usuários cheguem a  Internet pela primeira vez através de um dispositivo móvel.

Em 2008 a Campanha eleitoral presidencial on line americana de Barack Obama, demonstra que a internet tem a mesma força que a televisão tinha há 40 anos atrás. Os movimentos das redes sociais mobilizou os eleitores com recorde de arrecadação de fundos online de pequenos doadores.

Em 2009 a revolta de parte da população iraniana contra o resultado das eleições naquele país é Trend Topic no Twitter.

O projeto Siri -  sistema  capaz de se adaptar ao usuário e aprender com as suas ações, é considerado o maior projeto de inteligência artificial dos EUA.

PARTE IV – Publicada em 14.Fev.11

PARTE III – Publicada em 13.Jan.11

PARTE II – Publicada em 13.Ago.10

PARTE I – Publicada em 07.Mai.10


  1. Bartira says:

    you helped me a lot indeed and reading this your article i have found many new and useful information about this subject

  2. Robson says:

    It is really great write-up, hunting very interesting is going to be glad display and recomendate it to my local freinds I’m confident they will be content read this write-up

  3. geofisica says:

    Buеn Αгtículo
    Мe encantó la formа en que abordа sobre el tema.

    Seguiré regresando esta web

  4. web page says:

    in touch with them through the research network and you gather testimonials from consumers that speak well of such services.

Leave a Reply